PERCEPÇÃO AMBIENTAL DA SOCIEDADE – REGIÃO DA GRANDE VITÓRIA (ES) – FRENTE À PROBLEMÁTICA DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Por Roosevelt S. Fernandes, Valdir Jose de Souza, Clarissa Massariol, Carolina Baiôcco Bartholomeu, Caroline Zanetti Monjardim

O objetivo principal da pesquisa foi o de avaliar o perfil de percepção ambiental e social da sociedade – tendo como base a Região Metropolitana da Grande Vitória / ES – frente à problemática das Mudanças Climáticas. Como objetivo complementar, em estudo apresentado em separado, realizar a análise comparativo entre as percepções de católicos e evangélicos, tendo em conta  a mesma linha da pesquisa original. A pesquisa envolveu os municípios de Vitória, Cariacica, Serra e Vila Velha (população de 1.504.249 habitantes), segundo a aplicação de 960 consultas, o que redundou em um erro, para mais ou para menos, de 3,2%. Não há conhecimento de pesquisa com o mesmo objetivo, até a data da publicação da mesma, em relação a qualquer região do Estado do Espírito Santo voltada a este tipo de análise Por ser o NEPAS um grupo sem fins lucrativos (criado há cerca de 10 anos com o objetivo de avaliar os níveis de percepção ambiental e social em segmentos formadores de opinião) faz-se a proposição de que este modelo de pesquisa (com ou sem o apoio do NEPAS) seja levado a outras regiões metropolitanas do Brasil, no sentido de que se possa ter um perfil nacional do tema em estudo.

Download: PESQUISA MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA GRANDE VITÓRIA

PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PRODUTORES RURAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO – PESQUISA EXPLORATÓRIA

Por Murilo Antonio Pedroni, Roosevelt S. Fernandes, Clarissa Massariol, Carolina Baiôcco Bartholomeu, Caroline Zanetti Monjardim

A pesquisa – nesta fase em caráter exploratório – teve como objetivo avaliar o nível de percepção ambiental e social dos produtores rurais do Estado do Espírito Santo. Foi desenvolvida tendo como base a associação da Federação da Agricultura do Espírito Santo (FAES) e do Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental e Social (NEPAS), através de uma deliberação do Conselho de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (COMARH) da FAES. O presente estágio servirá de base para a estruturação de uma pesquisa ampla, cobrindo todos os municípios do Estado, segundo uma amostra predefinida em termos estatísticos. Servirá também de base para a definição, por parte do COMARH – FAES, de um programa de atualização do conhecimento ambiental dos produtores rurais do Espírito Santo, particularmente no que se refere a recente aprovação da nova versão do Código Florestal. Os autores consideram que este modelo de pesquisa deveria ser levada para outros Estados, permitindo uma definição (em estágios progressivos) do perfil de percepção ambiental do produtor rural brasileiro.

Download: PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PRODUTORES RURAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO