ANÁLISE COMPARATIVA DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL ENTRE CATÓLICOS E EVANGÉLICOS FRENTE À PROBLEMÁTICA DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Por: Roosevelt S. Fernandes, Valdir Jose de Souza, Clarissa Massariol, Carolina Baiôco Bartholomeu, Caroline Zanetti Monjardim

A pesquisa – coleta de dados – foi única, porém os dados foram tabulados e trabalhados segundo dois enfoques complementares:

Um foi voltado a definição do perfil de percepção ambiental da sociedade – Região da Grande Vitória (ES) – frente à problemática das Mudanças Climáticas.

Tamanho da amostra = 960 questionários

Como a pesquisa foi direcionada para realização em igrejas – católicas e evangélicas – e esta informação estava explicitava no questionário base aplicado, como complemento foi possível (também) analisar de forma comparativa os níveis de percepção ambiental dos segmentos religiosos em questão

Tamanho da mostra = 480 católicos + 480 evangélicos = 960 questionários

Download: PESQUISA CATOLICOS x EVANGÉLICOS

AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PROFESSORES DOS ENSINOS PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO EM MAPUTO – MOÇAMBIQUE

Por Roosevelt S. Fernandes, Lúcio Dionísio Pitoca Posse, Clarissa Massariol Oliveira, Caroline Zanetti Monjardim

O presente estudo é uma pesquisa exploratória voltada à análise da percepção ambiental de professores dos ensinos Primário e Secundário de Maputo / Moçambique. Tem como objetivo servir de base para uma pesquisa ampla que visará analisar o universo dos professores dos segmentos de ensino agora explicitados. Na futura pesquisa complementar far-se-á a avaliação da percepção ambiental dos estudantes ligados aos professores envolvidos na presente pesquisa (ação de cada professor junto a seus alunos), bem como a avaliação da percepção ambiental das comunidades do entorno das escolas (atividade a ser desenvolvida pelos próprios professores e alunos). Através da avaliação destes três níveis de abordagem serão formuladas propostas de intervenção – corretivas e preventivas – que visem aprimorar possíveis não conformidades do conhecimento ambiental identificadas pela pesquisa. A pesquisa, fase atual (professores) e futura (alunos e entorno da escola), ocorre sob a supervisão técnica direta do Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental e Social / NEPAS (Brasil) e acompanhamento local da ASED – Associação para Estudos de Desenvolvimento, com sede na Cidade da Matota (Moçambique). A pesquisa – cujo trabalho de campo ocorreu entre os meses de Setembro e Outubro de 2011 – em sua fase exploratória – foi totalmente financiada pela BRASITÁLIA – Mineração Espírito Santense Ltda, sediada no Brasil, Cariacica, Estado do Espírito Santo. Em síntese o que se pretende – tendo em conta a fase atual e as futuras do projeto – é oferecer aos gestores de Educação Ambiental de Moçambique um diagnóstico do perfil atual de percepção ambiental de alunos / professores / comunidades do entorno das escolas e, a partir desta base de dados, possibilitar a estruturação de ações direcionadas de intervenção em Educação Ambiental.

Download: PESQUISA MOÇAMBIQUE NEPAS

PERCEPÇÃO DO TABAGISMO NO SEGMENTO UNIVERSITÁRIO

Por Roosevelt S. Fernandes, Valdir Jose de Souza, Alex Rocha Bernardes da Silva, Cinthia Santos, Cintia Marinho de Carvalho, Clarissa Massariol Oliveira, Flávia Marini Paro, Ilza Girardi, Marta Corrêa Fontes Chagas de Oliveira, Núbia Kátia Teixeira, Renata Geniany Costa, Sabrina Trindade Fernandes, Fernanda Moura Vargas Dias

A pesquisa envolveu 1728 estudantes universitários (33 diferentes cursos) de 12 instituições de ensino superior (ES, RS, DF, MG, SP), tendo como objetivo analisar o nível de percepção do segmento universitário frente a problemática do Tabagismo. A pesquisa, em se tratando especificamente do segmento universitário da tentativa de abrangência nacional, pode ser considerada como base para outras pesquisas complementares. O instrumento da pesquisa foi estruturado pelo Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA – UNIVIX, e aplicado pelos autores em estudantes de suas instituições de ensino, sendo os dados coletados tabulados (SPSS) pelo NEPA. É intenção dos autores, em relação aos resultados agora apresentados em caráter preliminar, incluir instituições de ensino de outros Estados – ainda não inseridos na presente amostra – de modo a poder assegurar uma visão nacional em relação a temática.

Download: PESQUISA TABAGISMO COMPLETA

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE ESTUDANTES DO ENSINO BÁSICO EM PORTUGAL

Por Roosevelt S. Fernandes, Maria da Conceição Monteiro Silva, Valdir José de Souza, Ana Besteiro, Luciano Abelheira, Marta Oliveira, Olga Madanelo, Paula Ribeiro, Nuno Lança, Sónia Fonseca

Em Janeiro de 2007 (Lisboa), durante a realização das XIV Jornadas Pedagógicas da Associação Portuguesa de Educação Ambiental / ASPEA, em um grupo de trabalho coordenado pelo Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA, da Faculdade Brasileira / UNIVIX, Vitória, Espírito Santo, Brasil, foi apresentada e aprovada uma proposta de pesquisa nos moldes daquela realizada no Brasil para a Coordenação Geral de Educação Ambiental do Ministério da Educação / MEC (2006). A pesquisa visava analisar a percepção ambiental de alunos do Ensino Básico, em Portugal. A pesquisa teve como foco aspectos ligados à “cidadania ambiental” e “uso racional da água”, envolvendo preferencialmente alunos dos quinto e oitavo anos, uma vez que, entre outros objetivos, pretendia-se avaliar a evolução do nível de percepção ambiental entre os alunos dos dois segmentos amostrados. A pesquisa, desenvolvida com a coordenação do NEPA, envolveu 1034 alunos, de 10 escolas, distribuídas por 7 concelhos em Portugal e um em Moçambique, com a participação direta de 37 professoras(es) que aplicaram diretamente os instrumentos da pesquisa a seus alunos. Para um intervalo de confiança de 95%, os resultados da pesquisa sobre “cidadania ambiental” estão associados a um erro, para mais ou para menos, de 3,05%, enquanto a pesquisa sobre “uso racional da água” a um erro de 3,55%. Esta pesquisa pode ser considerada como pioneira em Portugal, sendo que seus resultados são de grande importância para o conhecimento de educadores e gestores públicos ligados à temática da Educação Ambiental.

Download: PESQUISA PORTUGAL VERSÃO FINAL

O QUE PENSAM, SOBRE MEIO AMBIENTE, O(A)S ALUNO(A)S DO ENSINO FUNDAMENTAL DO ESPÍRITO SANTO QUE PARTICIPARAM DO PROCESSO DE SELEÇÃO DO(A)S DELEGADO(A)S PARA PARTICIPAÇÃO DO ESTADO NA II CONFERÊNCIA NACIONAL INFANTO-JUVENIL PELO MEIO AMBIENTE

Por Roosevelt S. Fernandes, Brunela de Alcântara Merigueti, Jéssica Vicente Guanandy, Elaine Gomes de Andrade, Fernanda Pereira Coelho, Caroline Zanetti Monjardim

Em apoio ao trabalho da Comissão Organizadora de realização da Conferência Estadual Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente de 2005 (ES), evento que selecionou os delegados do Espírito Santo que participariam da II Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente (Brasília, abril de 2006), o Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA, da Faculdade Brasileira – UNIVIX, estruturou e aplicou uma pesquisa de percepção ambiental aos cerca de 600 estudantes, de escolas públicas e privadas, que se candidataram, através de suas escolas, a serem delegados do ES no evento nacional. A pesquisa tomou como base metodologia desenvolvida pelo NEPA, aplicada em várias outras pesquisas com idêntico objetivo, ação que foi apoiada pela Cia.

Siderúrgica de Tubarão e a Aracruz Celulose, possibilitando o envio de uma equipe de pesquisa (coordenação e 5 pesquisadoras) para aplicar a metodologia em Brasília. Neste trabalho são apresentados os resultados da pesquisa realizada com estudantes do ensino fundamental do Espírito Santo, podendo ser entendido como o perfil da cidadania ambiental de tais estudantes, contexto que identifica vulnerabilidades e potencialidades do perfil do conhecimento ambiental deste importante segmento de potenciais formadores de opinião, o que permitirá a definição, por partes dos educadores ambientais, de ações específicas complementares na área da Educação Ambiental. Este trabalho pode ser considerado como inédito no Brasil, uma vez que não há registro de nenhuma pesquisa anterior voltada especificamente à análise do “que pensam, sobre meio ambiente, os estudantes do ensino fundamental no Espírito Santo ou Brasil”, uma vez que as pesquisas existentes, estruturadas pelo MMA / ISER, dizem respeito ao conhecimento de como “os brasileiros pensam o meio ambiente” e “como pensam os delegados da II Conferência Nacional do Meio Ambiente”, envolvendo adultos (mais de 17 anos), enquanto a pesquisa desenvolvida pelo NEPA no ES envolveu apenas estudantes (de 11 a 17 anos). Portanto, é uma iniciativa pioneira que deverá ser levada, como já vem ocorrendo, para outros estados da federação, visando formatar bancos de dados estaduais de cidadania ambiental que possam servir de base, em relação aos educadores ambientais locais, para a estruturação de programas de Educação Ambiental que atendam, entre outras necessidades, as efetivas demandas dos estudantes, ampliando a eficácia dos mesmos para além do conhecimento individual ou coletivo dos educadores envolvidos em suas formulações. Deste modo o Estado do Espírito Santo passa a ser o primeiro estado que já conta com um banco de dados sobre cidadania ambiental de estudantes do ensino fundamental, base de apoio para a estruturação de um banco de dados nacional, este em fase final de consolidação dos dados, decorrente da pesquisa também desenvolvida pelo NEPA – UNIVIX, junto a Coordenação Geral de Educação Ambiental da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, do Ministério da Educação – SECAD / MEC.

Download: PESQUISA dos capixabas NA CONFERENCIA DO MEC

AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE PARTICIPANTES DO PROGRAMA NACIONAL DE CAPACITAÇÃO DE GESTORES AMBIENTAIS DO MMA – Módulo realizado no Espírito Santo – SEAMA / UNIVIX / NEPA

Por Roosevelt S. Fernandes, Valdir José de Souza, Fernanda Pereira Coelho, Felipe Gabriel Sotero e Andrade, Mayke Meyer Miertschink, Jéssica Vicente Guanandy, Victor Barcellos Tesolin, Brunela de Alcântara Merigueti, Meriele Soares Garcia, Caroline Zanetti Monjardim

RESUMO EM BREVE

Download: PESQUISA GESTORES AMBIENTAIS no ES

O QUE PENSAM AS DELEGADAS E OS DELEGADOS DA II CONFERÊNCIA NACIONAL INFANTO-JUVENIL PELO MEIO AMBIENTE

Por Roosevelt S. Fernandes, Valdir José de Sousa

Equipe de pesquisa de campo: Brunela de Alcântara Merigueti, Jéssica Vicente Guanandy, Elaine Gomes de Andrade, Fernanda Pereira Coelho, Caroline Zanetti Monjardim

Equipe de apoio: Leonardo Zorzal, Sabrina Trindade Fernandes, Felipe Gabriel Sotero Andrade, Mayke Meyer Miertschink, Marcela Ribeiro Calazans, Rodrigo Lucas Leão Bastos, Fabio Rinaldi Nunes

Equipe de digitação e revisão: Poliany Morais Rabbi, Velfrisia Tose

O objetivo da presente pesquisa foi identificar o perfil dos delegados e delegadas participantes da II Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente (II CNIJMA), incluindo o seu grau de interesse e envolvimento com o tema. O levantamento de dados foi realizado durante a II CNIJMA – 23 a 28 de abril de 2006. Utilizando a técnica da amostragem estratificada proporcional, foram entrevistados 238 participantes (43% do total), considerando a margem de erro de 5% e intervalo de confiança de 95%.

Os resultados apontam a grande influência que a escola e a comunidade exercem na motivação desses jovens – a principal sugestão dos adolescentes é a criação de projetos de educação ambiental na escola que promovam a relação com a comunidade. Assim, programas como a Com-vida – Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola e a própria Conferência de Meio Ambiente na Escola são espaços que podem ser potencializados, com o envolvimento cada vez mais significativo da família e da comunidade, proporcionando o adensamento conceitual aliado à práxis. Apresentamos os principais resultados, com destaque para os itens que foram mais citados.

Download: PESQUISA MEC – NEPA VERSÃO FINAL APROVADA

ESTUDO COMPARATIVO DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE MORADORES DE UNIDADES RESIDENCIAIS / COMERCIAIS LIGADAS E NÃO LIGADAS À REDE DE COLETADA DE ESGOTO DA CESAN

Pesquisa desenvolvida pela RSF Consultoria em Meio Ambiente Ltda. com o apoio técnico do Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental e Social / NEPAS

Esta pesquisa foi contratada pela CESAN – Companhia Espiritosantense de Saneamento junto a RSF Consultoria em Meio Ambiente Ltda. não sendo permitida a divulgação da totalidade dos resultados, mas somente a síntese dos mesmos. O apoio técnico para a estruturação de toda a pesquisa foi conduzido pelo NEPAS.

Download: PESQUISA CESAN – síntese liberada no site da cesan

ESTRUTURAÇÃO DE UM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TENDO COMO BASE A AVALIAÇÃO PRÉVIA DO NÍVEL DE PERCEPÇÃO AMBIENTAL E SOCIAL OBTIDA JUNTO A DIFERENTES SEGMENTOS DE UMA EMPRESA VOLTADA A INDUSTRIALIZAÇÃO DE ROCHAS

Por Brunela de Alcântara Merigueti, Jéssica Guanandy, Roosevelt S. Fernandes

A pesquisa realizada diz respeito à aplicação da metodologia de avaliação da percepção ambiental de funcionários de uma empresa do setor de exploração e industrialização de rochas ornamentais (áreas de produção e administrativa, objetivando definir vulnerabilidades no conhecimento do grupo em relação a diferentes aspectos da temática ambiental, além de diagnosticar como os mesmos percebem sua empresa e as outras empresas no contexto ambiental do município onde a sua empresa está localizada (Cariacica – ES). Foi usado um questionário especialmente desenvolvido pelo Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental e Social / NEPAS, objetivando um pré-diagnóstico do contexto ambiental da empresa. A análise dos dados da pesquisa permitiu a proposição de intervenções, por parte da empresa, visando corrigir as não conformidades identificadas. Merece destaque o baixo custo da adoção desta metodologia, fato que a coloca como um instrumento importante para o trato das questões ambientais para o segmento das micro e pequenas empresas, situação que os autores pretendem demonstrar com a apresentação do presente trabalho.

Download: ESTRUTURAÇÃO DE UM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

ESTUDOS PRÉVIOS DE AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL E SOCIAL – MUDANDO PARADIGMAS NA ESTRUTURAÇÃO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Por Roosevelt S. Fernandes, Caroline Zanetti Monjardim, Clarissa Massariol

A edição da Resolução 001 (5 de Outubro de 2016) do Conselho Estadual de Meio Ambiente (CONSEMA – ES) inseriu uma mudança significativa na metodologia de estruturação de Programas de Educação Ambiental e de Comunicação Social. Ela define os critérios básicos para a realização de estudos prévios de avaliação dos níveis de percepção ambiental e social da comunidade para a qual será oferecido o futuro programa, estabelecendo que os resultados da pesquisa realizada sejam compulsoriamente utilizados (após debate, em evento público, com a comunidade) quando da estruturação de Programas de Educação Ambiental e de Comunicação Social. Portanto, os programas a serem definidos partem de uma base real e quantificada de como a comunidade percebe os problemas ambientais e sociais que afetam a região. Este banco de dados irá permitir, entre outros, que após certo tempo da aplicação dos programas seja possível realizar uma avaliação da eficácia da adoção dos mesmos, contexto que é ignorado na grande maioria dos casos conhecidos, contexto que os autores consideram como uma mudança significativa na atual metodologia de estruturação de tais programas.

Download: PESQUISA NEPAS LEVADA A APROVAÇÃO DO CONSEMA